A música é uma atividade onipresente na vida das crianças. Ouvir, cantar, dançar, inventar e parodiar são companheiras de todas as horas.

(Cecília Cavalieri França)

E você, mãe, que tipo de música tem oferecido para seu filho?

O mercado musical é variado. Oferece músicas de excelente qualidade, mas também oferece outras com baixíssima qualidade. Além de trazerem letras pouco apropriadas para as crianças, não contribuem para o desenvolvimento do pensamento. E o que podemos chamar de música de qualidade para nossos pequenos?

Uma boa música é aquela que, além de despertar emoção, também desenvolve o pensamento crítico, traz questionamentos, enfim, contribui para que a criança aprimore seu gosto musical e que fique mais exigente quanto à qualidade de música que lhe é oferecida e também que ela, mais tarde, vai ouvir.
A música é uma atividade essencial para o desenvolvimento humano. Ouvimos música desde o tempo em que habitávamos o útero materno. Isso não é fantástico? Pensar que o batimento do coração da mamãe é musical.

Toda criança gosta de música e algumas conseguem acompanhar os ritmos com desenvoltura. Algumas gostam de músicas mais agitadas, outras de mais calmas. Cada uma tem o seu gosto, mas todas gostam de ouvir música.

Pela música podemos conhecer a cultura de um povo e através dela manter tradições e promover transformações na sociedade. Sendo assim, a família tem a responsabilidade de apresentar para a criança a sua preferência musical e proporcionar que ela vá, ao longo da vida, construindo seu gosto musical. A responsabilidade da família, mãe, é muito grande.

Com a aprovação da Lei 11.769, de 18 de agosto de 2008, a música, aos poucos, voltará a fazer parte do currículo da educação básica (ela deixou de fazer parte no início da década de 70). Isso para nós, mães, é um grande ganho. Ganhamos uma grande aliada para nos ajudar na formação do gosto musical das crianças. Além do pouco tempo que a maioria das mães tem para seus filhos, ainda temos que lidar com as músicas de péssima qualidade oferecidas pela mídia.

Na minha casa eu sempre procurei apresentar para os meus filhos músicas de boa qualidade. Na época não era fácil encontrar um repertório interessante. A música para as crianças era muito comercial. Mas eu conheci a dupla Palavra Cantada e gostei do que ouvi. Meus filhos também gostaram e até hoje costumam cantarolar algumas canções. Outro dia mesmo, eu e minha filha, fomos ao show de 20 anos da dupla. Foi muito emocionante ver pais e filhos cantarem as músicas, juntos. A dupla Palavra Cantada faz parte do nosso repertório. Ela faz muito sucesso até hoje e suas músicas, além de arranjos sonoros de qualidade, trazem letras interessantes que incentivam o pensamento crítico das crianças e dos adultos. Para mim, até hoje, é pura emoção! Se você não conhece, eu recomendo e tenho certeza que seu pequeno vai adorar.

Compareci ao último show do Palavra Cantada em Belo Horizonte e gravei o vídeo abaixo para você curtir. Veja quantas crianças acompanhadas pelas mães e pelos pais estavam vivenciando esse momento.

 

Palavra Cantada em BH Sandra Peres e Paulo Tatit, do Palavra Cantada
Sandra Peres e Paulo Tatit, Palavra Cantada em BH
Outra tarefa importante e prazerosa é levar seu filho a shows, permitir que eles vivam essa emoção da música, ao vivo, desde pequenos. Em casa, além de ouvir música, vocês também podem ouvir: barulho de chuva, carro na rua, vozes, passos, vento, objetos manipulados na cozinha, som do chuveiro, etc… E podem também produzir música: inventar canções, parodiar, cantar no chuveiro, fazer serenata, etc…

Vai ser muito divertido, eu garanto.

3 replies on “A música que seu filho ouve faz bem para ele?”

  1. Olá!
    Tenho uma princesinha de 2 anos e 8 meses. Antes mesmo de completar 1 ano, apresentei a ela a dupla Palavra Cantata, ela adorou, canta todas as músicas e quando vamos a alguma loja de DC/DVD, ela sempre procura novos volumes… Percebo, realmente que o interesse dela por música é muito evidente, e percebo também que ela não tem interesse por “músicas de péssima qualidade”. Como eu e o pai dela também não nos interessamos por músicas desse tipo, acredito que influencia muito gosto musical de nossa pequena.

  2. Cristina, faço tudo isso com minha filhota desde quando estava na minha barriga! Hoje com 11 meses, ela já sabe algumas coreografias de músicas e até associa palavras contidas nas músicas quando as falamos normalmente num diálogo! Ela expressa reações quando conhece alguma palavra que dizemos e interage conosco! É fantástico como a música ajuda e integra! Ela tem duas músicas preferidas da Dupla Palavra Cantada: O que que tem na sopa do neném (e todas as paródias que faço diariamente de acordo com a necessecidade do momento. kkk Ex. Hora do banho: uso partes do corpo e digo: “O que que tem no corpo do neném” e etc) (Fizemos até um videozinho com fotos nossas com essa música de fundo. Ela adora!) e Sou um bebezinho. Mas ela também ouve músicas e contos da Bia Bedran (que sou fã desde criança!) e dois cds de Rock your Babies (Rocks brasileiros instrumentais desenvolvidos por Bruno Gouveia dos Titãs com instrumentos iguais aos usados nas cantigas de ninar! Amei! Fica a dica!!!)
    Quanto aos museus, prefiro esperar que ela complete 1 ano e meio, pois ela estará com mais firmeza nas perninhas (e ficará menos cansativo para minha coluna ao conduzi-la. rs), mas ela ja adora os quadros daqui de casa! Aponta e diz: Iiiiiiiiiiiihhhhhhhhhh! (sorrindo)
    Eu ainda não a levei a nenhum show, mas farei assim que meu trabalho permitir. Fui a um da Bia Bedran quando estava grávida de 8 meses, então de tabela ela já foi a um! hehe!
    Tenho um cd com músicas ou fragmentos de músicas de todo o mundo! De várias épocas! Veio dentro de um livro de “Música para crianças”! Amei! Vou colocar para ela amanhã mesmo! Pois já comprei esse livro há uns 2 anos e tinha me esquecido! Tenho certeza que o contato com músicas diferenciadas vai abrir seus horizontes!
    Não somos músicos, mas eu e o papai dela adoramos artes e inventar músicas pra qualquer coisa, mas a maioria a gente não lembra depois. Canta uma vez e esquece. É do momento! rsrs
    A gente se diverte e educa como pode!

    Obrigada pela dica e o carinho de sempre.
    Fabi.

  3. Eu AMO Palavra Cantada e a Teresa (7 meses ) está curtindo muito também. Eu percebo que ela se interessou pq eu mostro para ela que eu gosto – “essa eu gosto demais”, “vamos dançar com a mamãe, Tetesa ?”, “Essa é a minha preferida “- agora qd começa ela já fica toda espertinha pra curtir o som.

Comments are closed.