Como colocar limite e lidar com birras

O limite é uma experiência afetiva que atinge tanto pais quanto filhos. Ninguém sai ileso. Pode ser difícil mesmo dizer um “não”. Você, mãe, já deve ter vivido essa situação. Sentimos pena, hesitamos e, às vezes, acabamos cedendo. A criança percebe tudo, inclusive nossa insegurança. E nesse momento, sua lógica é implacável! Em um supermercado, por exemplo, ela pode tentar usar a birra para conseguir algo que deseja: “Se eu gritar, ela vai me consentir”. É o que chamamos de compensação explícita. Quem já não precisou lidar com uma birra dos pequenos? E, é claro, em local público!?!

Limite e birra

Agora, leia essas afirmativas com atenção. Você concorda com elas?

  • Falta de limite resulta em criminalidade.
  • Frustrar é altamente saudável.
  • A falta de limite é o pior estado de angústia.
  • Ao estabelecer um limite é preciso sustentar.
  • A frustração é necessária para constituição do ser humano.

À primeira vista podem parecer duras, mas é a pura verdade. Se você, mãe concorda com as afirmativas acima, então está no caminho certo na tarefa de colocar limites nos filhos e possibilitar que eles respondam pelos próprios erros e comecem assim, a construir sua autonomia.

Para criar os filhos não tem receita pronta e atualmente é mais difícil do que parece. A configuração da família mudou, é o que podemos chamar de família “mosaico” e as referências ficaram mais diluídas entre família, amigos, escola e, principalmente, mídia. O imperativo é que tudo pode! Pais e escola não têm mais a autoridade de antigamente. Mas nós sabemos, mãe, que não é bem assim. Tudo tem consequência, isso é comum para todo mundo inclusive para os filhos.

Diante disso, a mãe precisa ter em mente os três princípios a seguir:

Toda autoridade é construída pela palavra. É pela palavra que construímos as regras junto com os pequenos. Se eles são informados, é legítimo cobrá-las e exigir que sejam respeitadas. Afinal, mãe, todo limite que você coloca para seu filho é para o bem dele e seu também.

É preciso sustentar o limite. Ao sustentar o limite que você colocou para seu filho e ele sabe o porquê, você passa para seu pequeno a segurança e confiança que irão ajudá-lo a vencer a frustração do “não”. Para as regras não tem negociação. Cumprí-las significa transmitir para o filho o cuidado e a responsabilidade com a moral, os valores, a saúde e a segurança, muitas vezes, até de outras pessoas.

Quando a regra não é cumprida, há que se ter alguma perda. A criança vai se constituindo através das referências que os pais passam para ela. Imagina como o filho vai se sentir ao perceber que, ao não cumprir as regras, fica tudo bem. Isso pode ser muito perigoso! Lembre-se, nada é sem consequência A autonomia é responder pelos próprios erros e sua construção é um processo, nunca para, nem quando adultos. Que tipo de perda seu filho pode ter é você quem vai decidir, claro que com coerência. Posso dar alguns exemplos: não fez o Para Casa? Então não tem TV. Há um ditado popular que ilustra isso muito bem: “De pequenino é que se torce o pepino.”

22 Comentários


  1. olha tem dias que nos maes ficamos louca com birras dos filhos eu sempre saiu com meus filhos e eles sao muito educados nao pedem nada e se comportao bem claro os dois mas velhos porq o pequeninho de um aninho este sim
    me deicha louca e como da regras pra ele se ele e tao pequeninho


  2. Educar é algo muito dificil nos dias atuais , especialmente se são filhos de pais divorciados . Porque toda a
    responsabilidade da educação recai sobre as mães e lhe dar com as birras diante deste contexto é muito mais difícil ainda .Diante disso, esse site e os temas abordados nele são de grande relevância para nós mães e família no processo de construção da educação dos nossos filhos.


  3. gostei muito da pagina, estou terminando o curso de pedagogia e acho que vai ser de grande relevância nessa nova etapa, os temas são bem claros e com boa percepção,gostaria que incluice mais artigos
    para nos educadores!!


  4. Bomdia! parar as birras dos filhos torna eles pessoas libres. Eles tem que entender que na vida nem tudo e possivel e algumas vezes nos debemos desistir do que queremos para fazer o que debemos fazer…. falar Nao! na hora certa poupa muitas birrazas no futuro. Obrigada Cristina.


  5. É complicado, eu tenho um bebê de 1 ano e 7 meses, ele não fala ainda, porém é muito cheio de birras… chora por qualquer coisa, não escuta quando elevamos o tom de voz e brigamos com ele… se joga no chão e bate a cabeça para chamar a atenção quando a gente não faz algo que ele quer… não sei mais como agir… está difícil esta vida de mãe e pai de primeira viagem.


  6. Olá a todos(as)!

    Sou pai de um meninão de 1 ano e meio, o Vicente.
    Na maioria das vezes que ele é super tranquilo, até que a mãe dele chega!!!
    Naturalmente, ele exerce sobre nós um poder de barganha sem precedentes, uma vez que, passamos o dia trabalhando. Nesse sentido, o site e as dicas vêm muito a calhar!
    Apesar de não ser mãe, sei o quanto é difícil para todas vocês lidar com os multi problemas (casa, trabalho, filhos, etc…) da vida cotidiana…aqui em casa não é diferente!
    Então, queria dizer que o conteúdo que vi aqui é muito pertinente…não só para as mães!
    Parabéns pelo trabalho!
    Forte abraço.
    Roges


  7. É muito importante tirar algumas dúvidas, meu filho ainda vai fazer um aninho
    gostei muito das dicas que foram citadas.
    Estarei sempre acompanhando, as informações citadas por você CRISTINA.


  8. Pode-se colocar uma criança de 2 anos de castigo? Será que ela vai entender que fez algo de errado, mesmo conversando com ela?
    O que deve ser feito?


    1. Crianças desta idade são como esponja, devido à plasticidade de seus cérebros. Elas entendem bem mais do que expressam e isso também é verdade quando se trata de limites. Se os limites forem claros, elas vão testar esses limites; e se não forem, vão querer descobrir quais são. Cabe a nós sermos firmes e mantermos a nossa palavra, principalmente as mães que trabalham fora.


  9. Pessoal, também achei muito pertinente a matéria. Quanto ao assunto, li um livro muito bacana a respeito: “crianças francesas não fazem pirraças”….recomendo a leitura


  10. olha se eu tivesse dinheiro compraria o kit, mas infelizmente estou desempregada, acontece que nenhum castigo poe limite na minha filha!


  11. Oi… tenho um pequeno de 1 e 3 meses e ja descobriu a tal da birra… Nao sei como lidar com isso, ja que ele e tao novinho… Mr ajudem?!


    1. Procure sobre Terrible Two. Perto dos 2 anos as crianças começam o que conhecemos como birra porque estão se descobrindo no mundo e aprendendo a lidar com as frustrações. Eles não sabem o que é esse furacão de sentimentos ruins e nem como lidar com eles, precisam de amor e acolhimento para aprenderem e o principal, de exemplo, como você lida com as suas frustrações? Não é fácil mesmo, por aqui também foi muito difícil, ainda é. Mas a cada dia ele tem lidado melhor e ficado mais consciente dos próprios sentimentos.


  12. oi.obrigada por responder meu email estou me impondo e colocando limites no Junior,eu vou conseguir!!obrigada…sei que um dia poderei ajudar outras mães com a minha experiência!!


  13. Ola sou mae de duas meninas 3 e 5 anos porem sou mae solteira Sinto muita dificuldade em dar limites tem horas que fico louca de birras e chamar atencao. Me sinto culpada e acabo nao sabendo como posso mudar essa situcao que me deixa triste.


  14. Ola!! Não consigo acessar o link para compra do livro, como devo proceder?


  15. mas eu gostei dos ensinamentos espero que funcione com meu filho nathan


  16. Bom dia!

    Foi bom para mim, ver essas dicas de como dar limites a meu filho, sempre concordei com suas afirmativas de que a criança ela tem que ter frustrações, para que possa dar um novo sentido a sua forma de agir, mas, sempre fui muito criticada por isso, pois sempre recebi adjetivos como carrasca e outros, mesmo que não conseguia o objetivo esperado, mais sempre fiz com que meu filho pagasse pelos seus erros, e que para o que se faz de errado há sempre consequências.
    Agora vou tentar aplicar de maneira correta para obter bons resultados na educação de meus filhos, adorei essa iniciativa, pois sempre quando alguma coisa não ia bem em casa com meu filho sempre procurei orientações, principalmente Supernanny e suas dicas para me auxiliar, mais educar não é tão fácil quanto pensamos e com certeza este site está ajudando muitas mães com o mesmo problema: educar seus filhos!


  17. Oi…..tenho um casal de filhos, o mais velho tem 8 e a mais nova tem 3. Tenho passado maus momentos com as birras deles. O que me preocupa mais é: quando imponho um limite ele quer impor o dele também, corrijo essa atitude dele mas ele insiste. É a negociação, entende?


  18. Bom Dia, tenho uma menina de 3 anos e nos últimos meses estou passando por algumas dificuldades com relação ao NÃO, tento ser dura e continuar firme, mas tem vezes que fico muito triste por ela fazer birras, gritar, se jogar no chão. Espero que essa fase passe e ela cresça para entender que precisamos ouvir NÃO algumas vezes na vida! O Site e lindo e super envolvente 🙂
    Um Grande abraco 🙂
    Roberta B Fieni
    http://www.universo4kids.com.br


  19. Eu tenho uma filha de 10 anos e acho que a maior tese aqui dito será a minha, ela não me obedece em
    Nada !!! Quando eu falo pegue ali ela fala não e TA dito, eu sou mãe solteira e quem manda na minha casa e ela pq quando ela fala que quer eu dou, quando ela fala e assssim assim e! Na escola ela não tem amigos,não sabe fazer amizades por causa do seu comportamento imperativo r mandão por favor me opere um milagre!

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.